Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘PSICOLOGIA’ Category

Desapego, passado, seguir em frente

Há dias que nos sentimos perdidos, como se estivéssemos caminhando por uma estrada e nos deparássemos com a famosa bifurcação, “para onde vou? O que eu faço?”. E mesmo se você resolve seguir pela opção da direita, você pensa em como seria se caminhasse no caminho da esquerda, porque a opção da direita não era como você imaginava. Ou ainda, você está perdido em uma mata (sua vida) e há vários caminhos que você pode percorrer. Cada um te levará a um fim diferente. Haverá diferentes ambientes, animais, aventuras, experiências e contextos em cada caminho que você escolher. Mas não tem como percorrermos dois caminhos ao mesmo tempo, sempre temos que escolher uma única opção. Agora vamos além: (mais…)

Read Full Post »

Desentendimentos. Quem nunca passou por um? Seja com um amigo, namorado, ou com um familiar. Já parou para pensar porque eles acontecem?

Comunicação, mal entendido, desentendimento, Nietzsche.

Não existe verdade e fatos, apenas interpretações.

Para Nietzsche, “A palavra mais ofensiva e a carta mais grosseira são melhores e mais educadas que o silêncio”. O que ele quis dizer com isso? Conflitos psicológicos, em sua maioria, são iniciados pelo que não se diz do que pelo que se diz. Por exemplo, (mais…)

Read Full Post »

amor-paixao-fases-como-manter

Acredito que nunca arrisquei a escrever sobre amor. Por um lado parece ser meio clichê, mas dependendo do ponto vista, é um tema interessante. Acredito que todos aqueles que amam alguém buscam entender melhor sobre o amor, pois ele não tem manual de instrução. Ele se constrói. E para se construir uma relação amorosa de forma saudável, deve-se tomar cuidado para não cometer aqueles erros de iniciantes. Sim, o amor é um grande aprendizado, é algo que você pode aprender não apenas na prática, mas pode buscar outros meios como a leitura para saber como lidar de maneira mais leve na própria prática. (mais…)

Read Full Post »

Regras

Lalita Hamill and Marney-Rose Edge | Freedom – Winning Painting

Vivemos cercados de regras. Regras de conduta, de postura, de gramática, dentre outras milhares que nós, humanos, inventamos para colocar o mundo em ordem, visando uma sociedade harmônica. Comecei a escrever e colocar minhas ideias fora da caixa no início de minha adolescência e até hoje nunca tinha escrito um texto em primeira pessoa, devido à “regra”: sempre se deve escrever um texto preferencialmente na terceira pessoa do singular ou plural para demonstrar o que pensamos de modo menos parcial possível. Porém, essa regra, assim como tantas outras, me prende. Ficar preso a algo nos deixa infeliz, sufocados, perturbados ou insatisfeitos com algo – pelo menos acontece comigo. (mais…)

Read Full Post »

Desenho por Mariana Lorenzo. 2011.

Somos o maior vírus de todos os tempos

Possuímos uma dupla sabedoria, porém um triplo egoísmo

Somos destruidores por natureza, sugadores dos recursos naturais

Dizem que a cura para a Terra está longe de ser encontrada

Mas na verdade, para o mundo não morrer, só depende do próprio vírus

Ele precisa passar a ser duplamente egoísta e triplamente sábio

Pois se o mundo morrer, ele também morrerá – afirmo! (mais…)

Read Full Post »

Dance. Henri Matisse. 1910.

“Se Deus não existe, tudo é permitido”, afirma o escritor russo Fiódor Dostoiévski no livro Os Irmãos Karamazov (1879). Vale dizer que esta frase é freqüentemente citada em relação à obra mencionada acima, resumindo de forma genérica o que o autor quis dizer em um trecho do livro onde narram a respeito de um artigo que o personagem Ivan Karamazov acaba de publicar em uma revista:

… ele (Ivan Fiodorovitch Karamazov) declarou em tom solene que em toda a face da terra não existe absolutamente nada que obrigue os homens a amarem seus semelhantes, que essa lei da natureza, que reza que o homem ame a humanidade, não existe em absoluto e que, se até hoje existiu o amor na Terra, este não se deveu a lei natural, mas tão-só ao fato de que os homens acreditavam na própria imortalidade. Ivan Fiodorovitch acrescentou, entre parênteses, que é nisso que consiste toda a lei natural, de sorte que, destruindo-se nos homens a fé em sua imortalidade, neles se exaure de imediato não só o amor como também toda e qualquer força para que continue a vida no mundo. E mais: então não haverá mais nada amoral, tudo será permitido, até a antropofagia. Mas isso ainda é pouco, ele concluiu afirmando que, para cada indivíduo particular, por exemplo, como nós aqui, que não acredita em Deus nem na própria imortalidade, a lei moral da natureza deve ser imediatamente convertida no oposto total da lei religiosa anterior, e que o egoísmo, chegando até ao crime, não só deve ser permitido ao homem, mas até mesmo reconhecido como a saída indispensável, a mais racional e quase a mais nobre para a situação. (mais…)

Read Full Post »

Older Posts »